Breve Histórico


Faculdades Integradas FacvestHISTÓRICO

A Sociedade de Educação Nossa Senhora Auxiliadora Ltda-SENSAL, mantenedora do Centro Universitário FACVEST, foi instituída como pessoa jurídica de direito privado, com fins lucrativos, em 01/06/2001, com sede e foro à Avenida Marechal Floriano, 947, no centro da cidade de Lages/SC, estando registrada na Junta Comercial do Estado de Santa Catarina sob n. 42203030022, em 30/07/2001, e inscrita no CNPJ 04.608.241/0001-79.


Anteriormente, as então Faculdades Integradas FACVEST eram mantidas pela Sociedade Lageana de Educação - SLE, que também era a mantenedora de outras faculdades isoladas de Lages. Por meio da Portaria n. 1.029, de 13/12/2007, publicada no DOU de 14/12/2007, a SLE cedeu suas faculdades à SENSAL. Pela Portaria n. 84, de 31/01/2008, publicada no DOU de 01/02/2008, ocorreu a unificação das faculdades da antiga mantenedora-SLE nas Faculdades Integradas, hoje Centro Universitário FACVEST por força da Portaria n. 864, de 30/06/2011, publicada no DOU de 01/07/2011, com sede na Avenida Marechal Floriano, 947, Centro, Lages/SC.


Seu perfil é voltado para a preparação de mão de obra para atender as demandas do mercado. Preocupada com a má condição socioeconômica da região, passou a oferecer alguns cursos, a preços baixos, para atender as classes menos abastadas da sociedade. A partir de 2012, como estratégia política para enfrentar a concorrência de ensino a distância de outras IES, começou a oferecer alguns cursos (Pedagogia, História, Economia, Biologia e Matemática) com valor muito abaixo do mercado.


A missão da IES, expressa em seu PDI, é: “Educar, produzir e disseminar o conhecimento universal, contribuindo para o desenvolvimento humano, a democracia e a cidadania, formando o estudante para a vida.”
Lages é polo da região, que congrega 19 municípios e mais de 300.000 habitantes (IBGE, 2008). Desbravada pelos comerciantes de gado nos séculos XVIII e XIX, virou um importante entroncamento rodoviário em meados do século XX, período em que viveu seu auge econômico, com o extrativismo e comércio de madeira. Nas décadas de 1970 e 1980, a região passou por um período de empobrecimento econômico e emigração populacional. Nos anos 90, reagiu economicamente e desacelerou o processo emigratório. Esse período coincide com a criação do Colégio UNIVEST, antecessor da IES, cuja criação abriu uma nova expectativa de estudo e permanência da população regional em suas cidades de origem.


A região se destaca no ramo madeireiro e de celulose e papel. Segundo dados do IBGE de 2008, 2.900 indústrias madeireiras empregavam 39.000 trabalhadores e 409 indústrias de papel e celulose empregavam outros 17.600. Lages tem 34.195 trabalhadores no mercado formal, sendo 13.636 no comércio, 8.667 no setor de serviços, 8.123 na indústria, 2.152 na agropecuária e 1.617 na construção civil. Mesmo assim, seu PIB per capita está abaixo da média catarinense e brasileira.


Neste contexto socioeconômico, foi criado, em 1993, o Colégio UNIVEST. Depois de algum tempo, seus dirigentes enxergaram que a educação superior era incipiente e cara e criaram, em 1998, as Faculdades Integradas FACVEST, com a implantação gradativa dos bacharelados em Computação, Administração, Contábeis, Comunicação, Direito, Economia, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Medicina Veterinária, Psicologia, das licenciaturas em Educação Física, História, Ciências Biológicas, Matemática, Pedagogia e Letras, dos cursos de tecnologia em Redes de Computadores, Segurança no Trabalho e Fotografia, e da pós-graduação Lato sensu, com a oferta de 16 cursos de especialização, e previsão, no PDI 2011-2015, da pós-graduação Stricto Sensu.

 

Durante os vinte anos de existência da FACVEST, várias comissões do MEC foram recepcionadas, o que possibilitou o reconhecimento de praticamente todos os cursos atuais, com os melhores conceitos em termos de Organização Didático-Pedagógica, Corpo Docente e Instalações.

 

A FACVEST vem atendendo a população residente na microrregião de Lages (formada pelos 22 municípios pertencentes a AMURES – Associação dos Municípios da Região Serrana), estendendo-se ao restante de Santa Catarina, norte do Rio Grande do Sul e sul do Paraná. Por conta do PROUNI, também tem recebido alunos oriundos de Rondônia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo e outros estados da federação.

 

A presença do FACVEST na região significou um estancamento no processo emigratório de lageanos para o litoral catarinense. Até o final dos anos 1990, Lages e Região passaram por um processo de estagnação sócio-econômica. Os investimentos públicos eram baixos na região, já que a prioridade do governo estadual era pelo litoral catarinense.

 

Com a instalação da FACVEST foi possível romper com a exclusividade de atendimento e oferecer à região mais de 4.000 novas vagas no ensino superior, distribuídas entre 33 cursos e habilitações. Além disso, centenas de bolsas de estudo da Instituição foram concedidas aos alunos, oportunizando a que mais pessoas de baixa renda ingressassem no ensino superior. Tal fato, por força da competição, obrigou as demais instituições de ensino superior de Lages a ampliar suas vagas e a reverem os valores das anuidades. Para a comunidade de Lages e região, isto significou uma reversão no processo emigratório, já que a busca de ensino em universidades públicas e gratuitas no litoral catarinense tornava-se mais caro do que  ocupar uma vaga num curso superior em Lages. Hoje, cerca de 70% dos alunos da FACVEST recebem algum tipo de bolsa de estudo.

 

A localidade onde hoje está sediada a FACVEST era um bairro em processo de degradação crescente, não recebendo a atenção necessária de investidores e do poder público, o que significava a depreciação dos imóveis da região. Com a instalação da FACVEST, o bairro se valorizou bruscamente. Os imóveis triplicaram seus valores. Estabelecimentos comerciais foram criados no entorno da FACVEST, o que propiciou certo dinamismo nas atividades econômicas da localidade e da cidade de forma geral.

 

O estancamento da emigração e a vinda de alunos de outras regiões e Estados contribuíram para que o comércio de Lages se revigorasse e oferecesse maiores oportunidades de emprego e renda. Novos investimentos em infra-estrutura foram realizados.

 

Em consequência, as famílias locais também se beneficiaram, uma vez que seus filhos puderam se estabelecer na cidade diminuindo os custos de locomoção, moradia, alimentação e serviços educacionais de nível superior.

 

Porém, independente desses revezes políticos, a FACVEST procura firmar uma posição que a diferencie das demais instituições de educação superior pelo seu comprometimento com o desenvolvimento regional sustentável, tendo como referência a atuação primordial na realidade catarinense, em especial na microrregião de Lages.

 

Através da educação superior a FACVEST vem propiciando a que jovens e adultos consigam uma colocação no mercado de trabalho com uma remuneração mais digna, proporcionando ao mesmo tempo um serviço de melhor qualidade na indústria, no comércio e nos serviços locais, agregando, assim, maior valor aos produtos oriundos da região. Desta forma, a necessidade de importação de trabalhadores especializados vem diminuindo, ao mesmo tempo em que aumentam as chances de colocação dos novos profissionais que a FACVEST vem formando.